Com o objetivo de reduzir o número de acidentes de trânsito, dos gastos excessivos e de emissões de CO2 relacionadas à frota de veículos leves, a Biosev estruturou e implementou o Programa de Segurança Veicular, destinado a monitorar o comportamento dos motoristas ao volante. Entre os resultados obtidos, destacam-se o Índice zero de acidente fatal no trânsito e a redução das multas por excesso de velocidade, de 770 para 34.

BIOSEV

Luiz Fernandes – gerente corporativo de Saúde e Segurança da Biosev

A Biosev, segunda maior processadora global de cana-de-açúcar, conta com 11 unidades em operação estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais – Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste, Leme e Lagoa da Prata – e atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar. Para abastecer todas as unidades, a empresa busca a matéria prima num raio de 120 quilômetros, transitando por diferentes tipos de estradas, desde rodovias pedagiadas até trechos de estradas de terra. Em julho de 2015, a empresa registrava por mês, 719 infrações acima de 110 km/h, com os funcionários percorrendo quase 700 km por mês acima do limite de velocidade prevista. Com isso, o consumo de combustível acima da velocidade prevista somava mais de 15 mil reais por mês. Além disso, considerando o consumo de combustível em tempo ocioso, a empresa tinha um gasto mensal de aproximadamente 72 mil reais.

A IMPLEMENTAÇÃO

Foi instalado nos veículos um sistema de telemetria e monitoramento, que utiliza tecnologia de última geração e permite a gestão completa das informações sobre a frota. Em cada unidade foi designado pelo menos um responsável pelo Programa, chamado de Coordenador de Segurança Veicular, que acompanha e faz a gestão das informações. Mensalmente, a Biosev avalia relatórios gerenciais, a partir dos quais as ações macro são desenhadas e os indicadores são acompanhados suportando a estratégia da liderança.

Por ser um sistema modular, o Coordenador de Segurança Veicular (CSV) acompanha todas as informações dos veículos e dos condutores de sua unidade e gera informações para a atuação assertiva dos gestores.

O sistema foi implantado em toda frota leve, isto é, 450 veículos, das 11 unidades de negócio da Biosev, e monitora a todo instante os parâmetros de dirigibilidade do condutor e de forma online, que é identificado através do ibotton, equipamento de uso pessoal e intransferível.

A tabela abaixo traz os principais itens e parâmetros monitorados pelo sistema:

Esses parâmetros são atualizados a cada 30 segundos, e as informações são utilizadas para conhecer o perfil do motorista e estabelecer uma política de conscientização e educação personalizada. Além da questão de segurança, outros parâmetros foram avaliados, como o volume de emissões de CO2 resultantes do uso de veículos leves, consumo de combustível e maior durabilidade dos veículos.

Os CSV têm acesso a todos os veículos e condutores de sua unidade, podendo, em tempo real, monitorá-los e os respectivos parâmetros de dirigibilidade, tendo a oportunidade de agir de forma preventiva ao identificar uma conduta insegura e acompanhar o desempenho com relação às emissões de gases de efeito estufa da frota.

Havendo um acidente ou uma colisão, é feita a análise dos minutos antecedentes ao acidente, oferecendo à Biosev a oportunidade de entender exatamente as reações antecedentes ao acidente e a possibilidade de trabalhar de forma reativa.

RESULTADOS

Por meio desse sistema de telemetria, os motoristas adquiriram novos padrões de dirigibilidade, contribuindo para a redução das infrações e dos acidentes na via, além da queda no consumo de combustível e nas emissões de carbono com o uso consciente dos veículos. Em oito meses de monitoramento, os resultados principais foram surpreendentes:

 

Índice zero de acidente fatal no trânsito;

Redução do consumo de combustível por excesso de velocidade (velocidades maiores que 110 km/h e tempo de motor ligado com veículo parado), após a implementação do Programa, está projetada para, no mínimo, R$ 255 mil;

Redução da emissão de CO2 de aproximadamente 6,5 t. Esta quantidade é equivalente à captura de CO2 promovida por 800 árvores;

As infrações de trânsito por excesso de velocidade saíram de um patamar de 770 para 34;

Mudança de cultura dos colaboradores que assumiram o comportamento seguro como um valor.

 

Também foram tomadas ações para agilizar o processo de manutenção com total respeito à segurança. A vistoria dos veículos é realizada com uma frequência de 90 dias para máquinas e tratores e 30 dias para veículos de transporte de passageiros, como kombis e ônibus. Além da vistoria normal, a empresa passou a adotar um sistema de adesivação com três níveis de indicadores. O adesivo verde é para aquele veículo que está com tudo em ordem, sem avarias e em perfeitas condições de uso. O amarelo vai para o veículo que tem avaria que não oferece risco para o condutor ou para os passageiros. Por exemplo, se um caminhão está com vazamento de ar ou de óleo diesel, ganha adesivo amarelo. Nesse caso, o veículo precisa ir para a oficina de modo a ser consertado em um prazo de até 15 dias. Se o veículo apresenta algum problema que oferece risco para pessoas, ele recebe o adesivo vermelho e precisa ir para o reparo imediato. É o caso, por exemplo, de caminhões que estão sem alarme de ré ou de veículos com cinto de segurança com defeito. Se o veículo for da empresa, ele é consertado na oficina da própria unidade. Se for de um prestador de serviço terceirizado, o reparo é feito em oficina externa.

Outro grande resultado obtido foi a capacitação dos nossos condutores e, consequentemente, a redução da exposição ao risco, por meio da conscientização e da adoção de uma postura preventiva no trânsito, não só na empresa, mas em suas vidas.

Além de um processo de mudança de cultura e preservação da vida, estão comprovadas várias reduções de custo, manutenções, multas de trânsito e acidentes. Todas estas conquistas sem ônus para as entregas cotidianas e com possibilidade de expandir esse nível de excelência para a frota pesada.

A partir desses primeiros resultados, ficou evidente para toda a companhia que é possível potencializar os resultados de um projeto, não somente para gerar resultados financeiros, mas também benefícios ambientais e sociais, abrangendo, dessa forma, os três pilares da sustentabilidade.

A fase de desenvolvimento da metodologia e implantação do projeto foi de cinco meses, e o sistema está funcionando há oito meses. A segunda fase do projeto foi a implementação desse Programa nos veículos da frota pesada, em 2016.

O Programa de Segurança Veicular demonstra que é possível aliar a redução de custos com aumento da segurança e redução de impactos no meio ambiente. Dessa forma, proporciona melhorias em todas as três vertentes da sustentabilidade: ambiental, social e econômica.

A companhia tem o objetivo de crescer, o que vai ampliar a quantidade de quilômetros percorridos. Isso não pode acontecer com aumento proporcional de infrações cometidas. Quanto maior for o quociente, melhor o desempenho da Biosev no Programa de Segurança Veicular, ou seja, quanto maior esse quociente, mais quilômetros estão sendo percorridos sem infrações de velocidade.

Comparação da quantidade de infrações cometidas com a quantidade de condutores vermelhos. Os condutores vermelhos são aqueles que cometeram mais de quatro infrações de velocidade registradas por meio do sistema de telemetria e monitoramento.*

Comparação do consumo de combustível por excesso de velocidade e por tempo ocioso antes e depois do início oficial do Programa de Segurança Veicular. O tempo ocioso corresponde ao carro com a ignição ligada, mas sem movimento. Em dois meses a economia foi de R$ 42.496.

Consumo de combustível em tempo ocioso + acima limite de velocidade / Consumo de combustível em tempo ocioso / Consumo de combustível acima limite velocidade

Relação entre a redução do consumo de combustível com a redução da emissão de CO2 Equivalente.

Consumo de combustível e emissões de Kg CO2 equivalente por excesso de velocidade e por carro com motor ligado e parado

QUADRO GERAL DE ACIDENTES

O Brasil ocupa o 4º lugar no Ranking Mundial dos países mais violentos no trânsito. Segundo levantamento da OMS (Organização Mundial de Saúde), apenas em 2013 o país teve 47 mil mortes. Ao todo, segundo a OMS, foram registradas 1,25 milhão de mortes por acidentes.

Desde 2003, a taxa de mortalidade das vítimas do trânsito brasileiro subiu de 18,7 para 23,4 para cada 100 mil habitantes, e já se aproxima da taxa dos países africanos com trânsito mais perigoso. O estudo destaca o Brasil como um dos países que têm mais leis de trânsito, mas a regulamentação não tem sido suficiente para inibir atos de imprudência.

Para se ter uma ideia, a OMS estima que 90% das mortes no trânsito acontecem em países em desenvolvimento, entre os quais se inclui o Brasil. Ao mesmo tempo, esse grupo possui apenas 48% dos veículos do planeta, o que demonstra ser muito mais arriscado dirigir um veículo — especialmente uma motocicleta — nesses lugares.

Ainda segundo a OMS, a situação se agrava justamente nesses países por conta do aumento da frota, da falta de planejamento e do baixo investimento na segurança das vias públicas. A frota brasileira aumentou 58,7% no período de 2008 a 2014, segundo dados do Denatran. Em 2014, o país ultrapassou a marca dos 85 milhões de automóveis, além de 23 milhões de motocicletas. A seguir, a relação entre o aumento da frota e da população brasileira.

No período analisado, o crescimento do número de veículos para cada 100 mil habitantes foi de 48% para todo o País. A relação entre o crescimento da frota e o da população é um dos indicadores utilizados para explicar o aumento dos acidentes, pois indica a exposição ao risco na região estudada.

As estatísticas da violência e imprudência no trânsito não são só uma preocupação pública. Em paralelo, as emissões de CO2 resultantes do uso de veículos leves contribuem com parcela significativa para as mudanças climáticas.

GOVERNANÇA CORPORATIVA

Listada no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo, a Biosev segue o mais alto padrão de governança corporativa. Os negócios são conduzidos de forma igualitária e, para que não haja conflitos de interesse, são seguidas normas e práticas previstas na Lei das Sociedades por Ações e no regulamento do Novo Mercado. Para proteger os interesses da empresa, ainda há a Política de Transações com Partes Relacionadas, que determina regras para a contratação de transações dessa natureza.

Com base nas melhores práticas, a governança da Biosev é composta por Conselho de Administração (CA) e Diretoria-Executiva.

Como órgão mais alto de governança da Biosev, o Conselho de Administração, além de supervisionar a gestão e aderência a normas e regulamentos, estabelece as diretrizes gerais dos negócios, como estratégias de longo prazo, controle e fiscalização de desempenho da empresa. Além disso, delibera em reuniões trimestrais sobre aspectos relacionados ao desempenho econômico, social e ambiental. É composto por nove membros, eleitos em Assembleia Geral, com mandato de dois anos, sendo permitida a reeleição. Do total, quatro são independentes e nenhum exerce função executiva na empresa.

Três comitês não estatutários apoiam o Conselho: Estratégico, Auditoria e Recursos Humanos.

Nomeados pelo Conselho de Administração, os membros da Diretoria-Executiva coordenam e supervisionam as atividades da companhia, com foco em atingir melhor desempenho nas dimensões econômica, social e ambiental, assim como mitigar os riscos e assegurar conformidade com relação a normas internas, leis e regulamentos.

A Diretoria-Executiva recebe apoio do Comitê Trabalhista, constituído por membros das áreas Jurídica, Operação, Recursos Humanos, e pelo seu diretor-presidente, e que atua especialmente por meio de ações preventivas na mitigação de riscos de violação aos direitos do trabalho.

Parte fundamental da governança da companhia, o Código de Conduta da Biosev formaliza os princípios que embasam a atuação profissional no ambiente de trabalho e as relações de negócios que envolvem colaboradores, terceiros, fornecedores, clientes e outros públicos.

O documento institui diretrizes para a conduta ética, assim como normas, limites e condições específicas que visam prevenir os riscos de corrupção, discriminação, assédio moral ou sexual, segurança no trabalho, conflitos de interesse, trabalho infantil ou análogo ao escravo e questões indígenas.

Para denúncias relacionadas ao descumprimento desses princípios, há o canal de comunicação Fale com a Biosev, que é operado por empresa especializada e destinado a receber diferentes manifestações por telefone (0800 940 9199), 24 horas por dia, nos sete dias da semana. Todos os casos são registrados e apresentados ao Comitê de Auditoria, que, após análise, define as medidas cabíveis.