Desenvolver e implantar soluções para cidades inteligentes como teste, nas instalações da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens), há uma hora da capital São Paulo. Assim é o Smart Campus Facens, um laboratório vivo. Ao longo de quatro anos, foram criados diferentes programas, alguns de pesquisa científica outros de implementação, de protótipos a projetos em operação dentro da faculdade. A prioridade é a transformação de problemas reais em soluções aplicáveis no contexto urbano, alinhando-as com as necessidades, crises e desafios do Brasil para as próximas décadas. Ao todo, 586 pessoas trabalharam até agora no Smart Campus: 450 estudantes, 89 professores, 29 funcionários e 18 profissionais terceirizados. A iniciativa é pioneira e já foi replicada por outras instituições de ensino e pesquisa. A Facens é mantida pela Associação Cultural de Renovação Tecnológica Sorocabana (ACRTS), e é considerada entidade de Utilidade Pública Federal sem fins lucrativos.

Crescimento populacional, limites impostos pela natureza, urbanização muito acelerada e desastres ambientais. Todo gestor público se depara com esses e outros problemas. Em busca de respostas assertivas, a Facens criou um campus universitário inteligente com conexão da comunidade acadêmica com o mercado e a sociedade. Desde setembro de 2014, soluções para Cidades Humanas, Inteligentes e Sustentáveis (CHIS) são pesquisadas, desenvolvidas e implantadas na faculdade como avaliação de sua eficácia em bairros e municípios.

O principal objetivo do Smart Campus Facens é transformar projetos acadêmicos e extracurriculares em resultados tangíveis e aplicáveis em escala real, tornando as instalações universitárias e a operação da instituição continuamente mais sustentáveis e inteligentes, enquanto permite o aprendizado prático e a experiência do corpo discente e docente. A iniciativa tem como metodologia o gerenciamento de projetos baseado nas melhores práticas mercadológicas e acadêmicas.

O trabalho em parceria com empresas nacionais e internacionais de notório saber está baseado em oito Eixos de atuação: Educação e Cultura, Energia, Indústria e Negócios, Meio Ambiente, Mobilidade e Segurança, Saúde e Qualidade de Vida, Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC), Urbanização e Governança.

EIXO EDUCAÇÃO E CULTURA

Atua de forma transversal a todos os demais projetos do Smart Campus Facens, tornando o estudante protagonista da sua própria formação, por meio da elaboração de trabalhos extracurriculares.

Os projetos desenvolvidos por esse Eixo envolvem tecnologias emergentes e metodológicas para a área de educação, das quais o maior objetivo é solucionar as dificuldades enfrentadas pelos estudantes ao longo da vida acadêmica, tornando o processo de aprendizagem teórico mais prático, interativo, experimental e colaborativo. Estuda as tendências e as aplicações dos conceitos de Educação a Distância, buscando soluções que auxiliem na formação continuada de alunos, professores e comunidades interna e externa.

O Eixo Educação e Cultura busca soluções que ampliem a capacidade dos gestores escolares na análise de informações sobre desempenho, frequência, distribuição de vagas e ferramentas inovadoras de gerenciamento de aprendizagem, possibilitando efetuar correlações em diversas dimensões. Além disso, incluem-se o incremento do ensino com laboratórios de inovação e prototipagem, experiências e kits didáticos dentro do conceito “faça você mesmo”, auxiliando os alunos na predição das dificuldades acadêmicas e direcionando-os a um plano de estudos e o desenvolvimento da aprendizagem prática e experimental.

EIXO ENERGIA

Oferece a oportunidade de desenvolvimento de projetos das áreas de eficiência energética e energias renováveis. Dentro dos aspectos de eficiência energética estão contemplados estudos de iluminação, climatização, automação predial, sistemas de certificação predial, redes elétricas inteligentes (Smart Grid), formas alternativas de transmissão, distribuição e comercialização de energia, soluções que estimulem o consumo eficiente, bem como estudos de eficiência energética para construções sustentáveis e cidades inteligentes.

Já na área de energias renováveis, os estudos são voltados para energias solar, eólica, piezoelétrica, bioenergia, entre outros novos estudos em desenvolvimento no mundo. Um dos grandes objetivos do Eixo é difundir conhecimentos para alunos e comunidade, através de cursos e treinamentos sobre Eficiência Energética, Energias Renováveis e Sistemas de Certificação Predial e de Energia.

EIXO INDÚSTRIA E NEGÓCIOS

Tem como objetivo o desenvolvimento de soluções na área de produção, processos e tecnologias industriais inovadoras, que tenham foco na busca da otimização, racionalização, melhoria da qualidade de processos produtivos, eficácia, empreendedorismo e gestão dos negócios contemporâneos.

Os projetos do Eixo envolvem conceitos de indústria 4.0; Internet das Coisas; processos produtivos sustentáveis; modelagem e simulação de processos; procedimentos e métodos de programação e controle de produção; produção mais limpa; soluções autônomas e produtivas inteligentes; e robótica. Também está ligado à automação para áreas: rurais, agrícolas, comerciais, bancárias, portuárias, domótica, óleo e gás, farmacêutica, química, petroquímica, automotiva, cosmética, têxtil, energia, bioenergia, saneamento ambiental, coleta de lixo, meio ambiente, mecânica, metalurgia e mineração, aviação, transportes, entre outras. Trata-se de um Eixo imprescindível para o desenvolvimento e aplicação dos conceitos da nova economia.

EIXO MEIO AMBIENTE

Possui o compromisso de evoluir para uma cidade ambientalmente inteligente, com o objetivo de otimizar os recursos disponíveis, desenvolver e aplicar tecnologias que suportem a promoção de mudanças culturais alinhadas à ótica do tripé meio ambiente, sociedade e economia.

Dentro do escopo do Eixo Meio Ambiente podem ser abordados projetos como medição e controle do consumo de água e despejos sanitários; gerenciamento de resíduos sólidos e dos resíduos eletroeletrônicos; pegada de carbono; controle da poluição do ar e da água; conservação da biodiversidade; estudo da fauna e da flora; análise de dados de estação meteorológica; estudos que aumentem a consciência e a educação ambiental; aplicação de tecnologias digitais como ferramentas de promoção de práticas sustentáveis, entre outros temas.

EIXO MOBILIDADE E SEGURANÇA

Tem como objetivo o desenvolvimento de projetos que estudem sistemas de transporte limpos e eficientes; a redução dos custos de infraestrutura; soluções para a dinâmica de mobilidade de um ambiente urbano, possibilitando que pessoas com alguma deficiência tenham facilidade e autonomia no deslocamento; desenvolvimento de soluções digitais que potencializem a mobilidade dos cidadãos por meio de transportes coletivos, públicos, compartilhados e/ou outros meios de transportes eficientes, do ponto de vista da sustentabilidade.

Criação de novas opções de modais que visem à redução do tráfego; facilitação do trânsito nos centros urbanos, por meio da simulação, do uso de ciclovias, do estímulo ao uso de diferentes modais, da inovação em radares e em dispositivos tecnológicos que auxiliem no monitoramento e na gestão da demanda dos transportes públicos em tempo real, de acordo com o congestionamento das áreas urbanas; bem como o desenvolvimento de estacionamentos inteligentes.

No aspecto de segurança, os projetos são voltados para garantir a segurança física e virtual dos usuários e do patrimônio público, por meio de redes inteligentes de monitoramento (tais como alagamentos, enchentes, deslizamentos, quedas de árvores, interdições de vias públicas etc), dispositivos, sensores e soluções tecnológicas que aumentem a segurança dos cidadãos e que permitam comunicar, simular e prever situações de risco, violência, crimes, delitos, furtos, vandalismos, entre outros.

EIXO SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA

Visa o desenvolvimento de projetos que utilizem os conceitos da economia criativa, colaborativa, cidades inteligentes e sustentáveis, para melhor aproveitamento dos espaços urbanos. Fazem parte do Eixo projetos que busquem inserir a criatividade, interação social, cultura, cidadania, entretenimento, esportes, lazer, turismo, medicina preventiva, monitoramento da saúde, prevenção de epidemias e ações sociais.

Proporcionar a saúde e qualidade de vida, que são áreas de conhecimento de humanas e biológicas, através da expertise da engenharia e tecnologia é uma das missões da Facens, a qual busca formar profissionais que sejam altamente capazes tecnicamente e comprometidos com a cidadania e o pertencimento a uma comunidade.

EIXO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Tem importância fundamental dentro do conceito de Cidades Inteligentes e IoT (internet das coisas), pois integra, de forma multidisciplinar, pessoas, processos, comunicação e tecnologias através de ferramentas e soluções, tais como: gerenciamento de redes, virtualização, computação em nuvem, gerenciamento de dados, Big Data, Data Analytics, sistemas embarcados, sistemas de informação, sistemas para suporte à tomada de decisão, sistemas de gerenciamento do conhecimento, sistemas inteligentes, redes sociais, portais, aplicativos, segurança da informação, privacidade, governança de TI, tecnologias de rastreamento, geoinformação, geolocalização interna e externa, sensores, atuadores, microcontroladores, tecnologias de captura e identificação automática de dados, computação móvel, dispositivos weareables, ferramentas de desenvolvimento de sistemas, enfim, soluções tecnológicas que agreguem valor aos negócios e às cidades, tornando-as mais sustentáveis, inovadoras e humanas.

EIXO URBANIZAÇÃO

Visa o estudo de soluções inovadoras de materiais, processos e tecnologias de construções sustentáveis de baixo custo, existentes no Brasil e no mundo, e as adaptações necessárias para sua aplicação em nosso país.

Dentro do escopo do Eixo Urbanização, são estudadas soluções para planejamento urbano, superestrutura, estudo da cidade e sua vocação, empreendimentos urbanos inteligentes e sustentáveis, soluções em incorporação e construção, processos construtivos e construções inteligentes, aplicação de soluções como o BIM, novas tecnologias em construção, materiais construtivos inovadores, ressignificação de espaços urbanos, soluções para gerenciamento de construções civis, bem como o desenvolvimento de casas e prédios inteligentes, focados sempre na democratização do acesso pelos menos favorecidos.

EIXO GOVERNANÇA

Tem o compromisso de dar todo suporte necessário a fim de garantir que os objetivos do Smart Campus Facens sejam atingidos com sucesso. Para que isso ocorra, a base de todo o processo são as pessoas que o constituem, sejam elas alunos, professores, funcionários ou parceiros externos.

Na prática, o núcleo busca a facilitação de processos, o gerenciamento de stakeholders, o estabelecimento de parcerias, o desenvolvimento de práticas de gerenciamento de projetos, a organização de eventos e o marketing dos eixos. Desta forma, caracteriza-se como o integrador entre os planos estratégicos e operacionais do programa.

O trabalho está alinhado aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e é realizado por livre vontade da instituição, com o simples propósito de tornar-se referência na formação de cidadãos globais por meio da educação. Atende a Política Institucional de Educação Ambiental e Sustentabilidade requerida na Lei N° 9.795/1999, no Decreto N° 4.281/2002 e na Resolução CNE/CP N° 2/2012.

RESULTADOS

O case apresenta resultados em todos os pilares, entregando benefícios para comunidade externa da instituição nos mais variados modos, como trabalho voluntário, doações, educação para cidadania, desenvolvimento intelectual ao país por meio de trabalhos científicos, geração de startups e economia financeira operacional, além de benefícios ambientais com geração de energia alternativa, redução do consumo de água, redução da emissão de gases de efeito estufa, entre outros.

 

Os resultados semestrais são avaliados pela equipe, para composição de lições aprendidas, e pela diretoria e mantenedora da instituição, para averiguação de retorno do investimento que permita a operação do programa. Continuamente, há investimentos em capacitação profissional à equipe envolvida, com incentivo à profissionalização e à participação em eventos, congressos e atividades relacionadas ao segmento do profissional.

Novas tecnologias ganham investimentos próprios e são também subsidiadas por prêmios, editais e financiamentos governamentais. Como exemplo de investimento próprio, é possível citar a eficiência energética em iluminação, a energia fotovoltaica, kits didáticos de Internet das Coisas, Mini Aerogerador Eólico, entre outros. Pretende-se para os próximos anos a capacitação e especialização para busca de oportunidades de fomento financeiro do governo.

Ações isoladas, por melhores resultados que apresentem, tendem a perder efeito ao longo do tempo. Esse foi o fator que incentivou a elaboração do programa aqui apresentado. O desenvolvimento contínuo foi idealizado para integrar as forças de projetos internos e externos com temas correlacionados, permitindo a evolução constante, mesmo diante da rotatividade dos participantes acadêmicos. O tema de Cidades Humanas, Inteligentes e Sustentáveis não surgiu ocasionalmente, mas foi criado pelos desafios emergentes da contemporaneidade, como o crescimento populacional, a rápida urbanização e os limites da natureza para produção de recursos naturais. Assuntos que deverão perdurar como processos constantes para implantação de cultura, tecnologia e inovação, até que haja equilíbrio em nossas cidades.

Participam do programa, docentes, discentes, colaboradores e parceiros externos, sendo estes últimos institutos de pesquisa, organizações sem fins lucrativos, prestadores de serviço, governos municipais, empresas privadas e sociedade civil organizada ou não. Os parceiros externos participam por meio de uma minuta de convênio seguida de termo aditivo a cada novo projeto, profissionais prestadores de serviço com contratos e propostas comerciais. Discentes são envolvidos por meio de trabalho voluntário, estágios e projetos acadêmicos.

Como projeções futuras para o programa Smart Campus Facens estão o monitoramento remoto em tempo real do consumo de energia e água por prédio do campus, ações para reaproveitamento da água e novos investimentos em energias renováveis.

A FACULDADE

A Faculdade de Engenharia de Sorocaba (Facens) é a primeira instituição de ensino superior nessa área fundada em Sorocaba. Mantida pela Associação Cultural de Renovação Tecnológica Sorocabana (ACRTS), é considerada uma entidade de Utilidade Pública Federal sem finalidade de lucros e certificada como filantrópica pelo Ministério da Educação. Com isso, concede inúmeras bolsas de estudos aos seus alunos que apresentam carência socioeconômica comprovada.

Atualmente, oferece onze cursos de graduação: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia de Alimentos, Agronômica, Civil, Elétrica, Mecânica, de Computação, Mecatrônica, Química, de Produção e Tecnologia em Jogos Digitais, além dos cursos de pós-graduação e especialização. São mais de 4 mil alunos matriculados. A Facens tem voltado suas atividades para que sejam relacionadas à Agenda 2030 da ONU, que é um plano de ação que contém 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para serem cumpridos até 2030 (Agenda 2030, n.d.).

Case certificado pelo Programa Benchmarking Brasil, edição 2018.